Amor de Simbolista (poema)



O sangue que inflama
o não sentido do ser
E no meu coração a incógnita
Entre o ser ou não ser


E temendo a solidão vacilente
Em Ode a tudo que é morto
E vendo o que não via antes
Em maus pensamentos absorto


Tentei compreender, o incompreensível
Que sentia no coração
Percebi que era impossível
Parei de dizer não


Estou amando, agora eu sei
Hipnotizado pelo agnóstico amor
E nele é claro que tem
A sua pitada de dor
A dor da saudade mortificante
A saudade de Amar,
Mas o amor edificante.
Parecido com o lutar.


E nos sonhos, eu me ceguei
Escreve sobre a ilusão
E não vendo - isso eu sei-
Que eu era a ilusão


Escrevo sobre a mortificante dor
De torturas, morticínios e dores
E meu coração sem cor
Minha vida sem amores


E nos olhos de minha amada encontrei
E neles a fitar eu fico
Amando como eu nunca amei.


Por: Vicent Alucard

Comentários:

Postar um comentário

 
Seja bem-vindo ao mundo gótico! © Copyright | Template By Mundo Blogger |