Goethes Erben & Peter Heppner - Glasgarten (tradução)


Como terras moldadas em água - solidifica
Ouve-se risos
Vozes de elfos se apressam
Entre as flores claras
Duras como gelo
E árvores como vidro

Será que isto tem vida?
Eles não possuem sombra
Só a imagem distorcida
Indo contra a luz

No jardim de vidro o tempo se perde
E permanece como um momento único

Só a lua que se esconde pela manhã
Permitindo o sol de um novo dia
A luz beija a lua no jardim de vidro

Cheiro de nada
Fruta insípida
Quem a desfruta?
Bonito...
Entre vidros e cristais
A luz se perde em si

Só a lua que se esconde pela manhã
Permitindo o sol de um novo dia
A luz beija a lua no jardim de vidro

As flores parecem frágeis e duras
Pois parecem estar resfriadas
Esperando por uma brisa
Impossível de escapar
Se quebram em mil pedaços
De cristais minúsculos
Que caem cantando
Ao suspiro dos elfos
Veja
Cada ouvido
Está pronto
Para ouvir

Só a lua que se esconde pela manhã
Permitindo o sol de um novo dia
A luz beija a lua no jardim de vidro
Como é tudo - claro - liso - puro
Como é tudo - claro - liso - puro

Comentários:

Postar um comentário

 
Seja bem-vindo ao mundo gótico! © Copyright | Template By Mundo Blogger |