Bandas góticas da Bahia



Modus Operandi - Formada no ano de 1996 por David (contrabaixo, vocais), Igor (percussão metálica), Rodrigo e Rubem (guitarras) além de Veimar (bateria), a Modus Operandi sempre esteve voltada à fusão de estilos musicais até então inexplorados em Salvador como o Pós Punk e o Industrial.
Embora desconhecida do grande público, a M.O. obteve um reconhecimento tardio graças a propaganda boca a boca e a suas performances “sui generis” (conseqüência em parte da utilização de chapas de metal e furadeira com instrumentos musicais). A partir de 1998 a banda inicia uma seqüência de shows (muitos deles em festivais como: Arraiá do Rock, II Rock Agosto, Festival de Música do Teatro do SESI, etc.) que ajudariam na fama de banda estranha, porém dotada de uma personalidade musical ímpar.
No ano de 2000, a banda decide abandonar de vez a configuração básica de uma banda de rock tradicional (guitarra-baixo-bateria) e parte para um som mais experimental, que após várias trocas de formação terminou por estabilizar-se com o vocalista David assumindo o sintetizador, André “Black Bell”/Henrique "Letárgico" (contrabaixo), Marcos (sucatas, furadeira, e outros efeitos) e Eduardo "Deus" (bateria). Abolindo o uso da guitarra e substituindo-a pela furadeira, utilizando-se de um contrabaixo “mutante” graças ao uso de distorção e efeitos, mesclando influências díspares, que graças ao entrosamento dos seus componentes soam coesas, vindas de artistas como: Einstuerzende Neubauten, Black Sabbath, Stooges, Velvet Underground, Ministry, Nine Inch Nails, Kyuss, etc. e também de bandas nacionais como: Kafka, Vzyadoq Moe, Smack, Treblinka, Meio Homem, etc.
A banda possui duas gravações lançadas: “Introdução” (1998) e “Radio Graphia” (2000).
Gótico, Industrial, Pós Punk, Robot Rock, Psicodélica... Muitos são os adjetivos para descrever a sonoridade monolítica da Modus Operandi, mas a melhor definição será dada pelo próprio ouvinte!








Incrédula - Formada por Lilith (ou Fê) (voz), Cauê (guitarra), Juarez (baixo) e Sr. Cloud (bateria), a Banda Incrédula,vencedora do concurso de bandas do A Máquina do Som em 2007. De Salvador, Bahia. O gênero musical da banda pode ser caracterizado tanto por Gothic Metal como New Metal. A banda mantem um contato muito forte com a Casa da Musica, localizada no Abaeté, no bairro de Itapuã (Salvador).






O “Jardim do Silencio” é um projeto antigo de Luciano Santil, inoculado desde 1999 e que somente ganhou vida a partir do ano de 2006, após unir-se ao talentoso Tecladista Leonardo Silva. A proposta da banda é unir poesias centenárias de grandes escritores simbolistas, parnasianos e românticos com escritos autorais, mesclando a um instrumental Synth-Electro-Goth sem perder a veia post punk/darkwave, criando um som mórbido, denso, sombrio e ao mesmo tempo dançante, na mais perfeita tradição “dance in tears”, traço marcante da musica gótica.
Luciano, o mentor da banda, é um musico experiente no cenário underground baiano, foi integrante da tão conhecida banda de Stoner/Doom de Salvador BlackBell, na qual suas letras melancólicas e tristes levavam dor e sofrimento ao seu público, com o término da Black in Bell, Luciano tocou na também conhecida banda The Cross, a qual teve boa repercussão no cenário Metal em Salvador, Leonardo Silva, teve breve passagem pela banda de Doom metal Sangrinian.
Após pouco tempo de preparação a banda fez sua primeira apresentação no festival Nordeste Gothic Reunion em março de 2007 e desde logo chamando atenção e amealhando admiradores ainda na estréia, recebendo inclusive vários convites para tocar em outras paragens, partindo em seguida fez diversos shows pelo nordeste, tendo feito parte do cast do festival Woodgothic em Minas Gerais, ocorrido em maio de 2008, onde dividiu o palco com Plastique Noir, Elegia, Scarlet Leaves, Days Are Nights, Modus Operandi entre outras bandas de renome na cena darkwave brasileira, já contando com um novo integrante, Ranniere Sant Ana, produtor, Dj e ex-baterista/vocalista da banda eternal nightfall (black/doom metal), que assumiu a incumbência das programações de baixo e bateria, samples e backing vocals, passando a trabalhar juntamente com os sintetizadores de Leonardo Silva e da Guitarra e poesia de Luciano Santil acrescentando força e trabalho na busca pela consolidação da Jardim do Silencio como uma das bandas mais promissoras do cenário gótico/darkwave no Brasil.





3 Comentários:

†Nix† disse...

Eu moro na Bahia, a alguns Km de Salvador e aqui não tem muitas bandas nesse estilo.
Fico feliz em saber que eles estão conseguindo ir longe.

Stefano disse...

falem de latromodem!

Aurora Dépassé disse...

Obrigado por citar a Jardim do Silêncio!

Abaixo nosso novo canal de vídeos com algumas das músicas que estarão no segundo cd!

https://www.youtube.com/channel/UC9RTR_CVqbbZZ-u8s_Qc7qA

Postar um comentário

 
Seja bem-vindo ao mundo gótico! © Copyright | Template By Mundo Blogger |