Poema: Inscrição para um portão de cemitério (Mario Quintana)


Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce - uma estrela,
Quando se morre - uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!''

-Mario Quintana


2 Comentários:

Anônimo disse...

marina,eu queria parabenizar-te pelo blog,dizer que eu sou mt sua fã e que esse é o blog gótico que eu mais acesso.parabens!bjs

Anônimo disse...

cadeias da alma

sentimento de euforia
e cheiro de lamurias no ar
me sinto triste e sosinha
logo ponho-me a chorar

chorar pelo q ja passou
e chorar pelo que virá
choro pelo tempo perdido
e por tudo o que no passado esta

sinto falta da minha liberdade
liberdade de poder voar
de poder simplesmente sorrir
e de nunca se magoar

entre rimas e versos
expresso minha tristeza
q se resume em dor e sofrimento
e so me causa mais problema.

Postar um comentário

 
Seja bem-vindo ao mundo gótico! © Copyright | Template By Mundo Blogger |